« Office 2010 será lançado em Junho TeamViewer 5.0 Final (Build 7418) »
03/12/2009
Escrito por em Downloads | 2.134 Leituras

A Google lança mais uma versão deste browser que se revela ser uma alternativa aos browsers Internet Explorer e Firefox. A aplicação foi baptizada com o nome Chrome e poderá ser descarregado, em versão beta para Windows, Linux e Mac em mais de cem países.

google_chrome_4_new

Segundo a empresa, o browser está preparado para ligações rápidas e para ser compatível com um grande número de aplicações gráficas e multimédia graças ao novo motor JavaScript V8. Diferenciando-se dos concorrentes, o Chrome oferecerá uma parte open source que permite a sua modificação por parte dos internautas e está preparado para melhorar a navegação na Internet, graças ao design multiprocessos. É este design que permite que cada separador seja tratado de forma autónoma, o que, em caso de bloqueio, encerra apenas o tab onde foi detectado o erro, mantendo os restantes abertos.

google_chrome_4_new_2

Graças à mesma característica, sempre que um separador é encerrado o browser pára imediatamente de consumir recursos para esse fim, deixando esse espaço livre para outras tarefas, ao contrário do que acontece com as aplicações de navegação tradicionais, explica a Google numa banda desenhada publicada no seu blog. Tal como acontece com o Internet Explorer 8, também o Chrome permite maior privacidade de navegação. Os utilizadores podem abrir uma janela de privacidade e ter a certeza que nenhuma da informação aí gerada fica guardada no PC, assegura a empresa.

O lançamento da versão beta do browser representa o mais recente passo da Google na sua estratégia para o mercado de aplicações, face à dominante Microsoft e a outros players do sector.

Depois de criar produtos como o Google Docs, o Picasa e o Maps, a empresa pretende agora “roubar” alguma quota de mercado no que se refere às aplicações de navegação na Web, área onde a Microsoft detém uma participação de 80 por cento com o IE.

google_chrome_4_new_3

Como já frisamos anteriormente, o browser já suporta a personalização por temas, disponibilizando-os numa página própria. Em Windows 7, verificamos que o Chrome faz uso de uma nova funcionalidade incluída no sistema operativo da Microsoft, as Jump Lists. Mas há mais.

A partir desta versão 4, e já pensando no Google Chrome OS, vários serviços da Google vão começar a interagir através do browser. Por agora, já se encontra disponível a sincronização de favoritos entre o browser e a sua Google Account, mas sabe-se que existem preparativos para integrar o Google Docs, GMail, Google Calender e o Google Reader também no Chrome.

Para implentar a sincronização de favoritos, os engenheiros da Google fizeram uso do protocolo XMPP (o mesmo do Google Talk) que permitirá interligar todos os seus computadores e a sua conta Google, partilhando favoritos em todas estas plataformas com actualização em meros segundos. Esta nova funcionalidade vem agora activada por omissão.

Como já frisamos anteriormente, o browser já suporta a personalização por temas, disponibilizando-os numa página própria. Em Windows 7, verificamos que o Chrome faz uso de uma nova funcionalidade incluída no sistema operativo da Microsoft, as Jump Lists. Mas há mais.

A partir desta versão 4, e já pensando no Google Chrome OS, vários serviços da Google vão começar a interagir através do browser. Por agora, já se encontra disponível a sincronização de favoritos entre o browser e a sua Google Account, mas sabe-se que existem preparativos para integrar o Google Docs, GMail, Google Calender e o Google Reader também no Chrome.

Para implentar a sincronização de favoritos, os engenheiros da Google fizeram uso do protocolo XMPP (o mesmo do Google Talk) que permitirá interligar todos os seus computadores e a sua conta Google, partilhando favoritos em todas estas plataformas com actualização em meros segundos. Esta nova funcionalidade vem agora activada por omissão.

Pode ainda, através de um comando, activar o botão de favoritos, através do seguinte procedimento:

1. Abra o Menu Iniciar, Todos os Programas e aceda à pasta do Google Chrome. No atalho para o Google Chrome, clique com o botão direito do rato sobre o mesmo e vá a “Propriedades”.

2. Aceda ao separador “Atalho” e em “Destino” acrescente à frente do mesmo -–bookmark-menu. Confirme em OK.

Agora, para usar a nova funcionalidade, é necessário apenas reiniciar o browser. O botão de favoritos irá aparecer lá em cima.

Consulte também as 10 extensões mais úteis para este browser.

Compatibilidade: Windows/Mac/Linux
Licença: BSD
Homepage: Google Chrome
Download: Google Chrome 4.0 Beta (Build 249.22) Windows | Mac | Linux

Este artigo foi escrito por em 03 Dez, 2009, e está arquivado em Downloads, Internet, Linux, Mac, Software. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
6 comentários em “Google Chrome 4.0 Beta (Build 249.22)”
  1. Uma perguntinha? Onde você encontrou esse tema para o Google Chrome?
    Pois o mesmo não existe nas opção de temas do Chrome.
    Só pra não ficar sem comentar esse é o melhor navegador que existe!

  2. Obrigado é ele mesmo.

  3. Parabéns pelo post abrangente sobre o novo Chrome!

  4. Essa notícia é muito boa, não sei porque aqui isso ainda não foi publicado?
    Finalmente o aguardado relatório de detecção proativa do AV-Comparatives foi liberado. Este relatório (*.pdf) funciona como uma espécie de complemento daquele publicado em agosto, e que era limitado à capacidade de remoção de malware dos antivírus.

    Nesse teste, foram usados dois grupos de malware. O grupo “A” contém pragas colhidas de dezembro de 2007 a dezembro de 2008, e a maioria dos antivírus conseguem detectar cerca de 97% delas sem maiores problemas. Já o grupo “B” traz pragas descobertas nos últimos seis meses (1,6 milhões de amostras). Esse grupo é composto pelos seguintes tipos de malware: trojans (69,5%), backdoors/bots (20,7%), worms (6,1%), outros malware (1,5%) e vírus para Windows (0,4%).

    O teste procura analisar, principalmente, o comportamento proativo dos antivírus, ou seja, a capacidade deles de, antes da execução do malware, identificá-lo e neutralizá-lo, sem que seja preciso baixar novas vacinas (todos os testes foram conduzidos sem conexão à Internet). O resultado foi o seguinte (quanto maior, melhor):

    Resultado do teste proativo.
    O AVIRA, embora se sobressaia nas taxas de detecção, peca bastante nos falso-positivos, tanto que, das três notas possíveis, ficou com a intermediária. Dentre os que garantiram nota Advanced+, a mais alta, apenas Microsoft Security Essentials é grátis. Apesar do avast! também ter ganho tal nota, a edição testada foi a Professional (paga). Veja o resultado:

    Classificação final do teste proativo.
    Assim, àqueles que procuram uma solução antivírus gratuita e eficiente, o Microsoft Security Essentials mostra-se a melhor opção, o que corrobora os resultados do teste de agosto do AV-Comparatives.

    Fonte: Ars Technica.

  5. encontrei este post por acaso.
    Gostei. Bem interessante

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: