« Dica: “Salte” a publicidade no YouTube com F5 Saiba como abrir os formatos Docx, Doc, Htm, Html, Txt e Rtf »
18/07/2010
Escrito por em Downloads | 5.258 Leituras

Quando se fala em Linux geralmente surgem 2 ideias na cabeça dos utilizadores: consola e segurança! Ambas estão erradas, não só porque existem imensas distribuições Linux onde tudo pode ser feito através do modo gráfico mas também porque existe o Damn Vulnerable Linux.

Criado por Thorsten Schneider da universidade de Bielefeld na Alemanha, Damn Vulnerable Linux é o sistema operativo mais vulnerável do mundo e não foi criado para uso doméstico mas sim para uso académico. Desta forma os estudantes podem aprender mais sobre problemas relacionados com segurança e como os resolver para que no futuro os SO sejam cada vez mais seguros.

O DVL é gratuito e pode ser utilizado através do Live CD ou ser instalado numa máquina virtual.

Apesar de o SO estar disponível para todos os utilizadores é altamente recomendável não o utilizar devido às suas inúmeras falhas de segurança mas se estiver interessado e possuir alguns conhecimentos pode efectuar o download através do link que se segue.

Homepage: Damn Vulnerable Linux
Download: DVL 1.5
_________________________________________________________________________________________________________

Pode encontrar este e outros artigos de igual interesse no meu blog pessoal: PPLandTEK

Este artigo foi escrito por em 18 Jul, 2010, e está arquivado em Downloads, Linux, Sistemas Operativos. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
25 comentários em “Damn Vulnerable Linux: o SO mais vulnerável do mundo”
  1. CMatomic diz:

    Linux não é um sistema operativo mas sim um kernel , não misturem as falhas do ambiente de trabalho com o kernel , GNU/Linux continua a ser um sistema operativo mais seguro para os utilizadores normais.
    ” Quando se fala em Linux geralmente surgem 2 ideias na cabeça dos utilizadores: consola e segurança! Ambas estão erradas, não só porque existem imensas distribuições Linux onde tudo pode ser feito através do modo gráfico mas também”
    não concordo com este comentário, la por haver muitas distribuições não significa que o linux é inseguro alias isso é que faz seguro , mas cada um faz aquilo quer do seu sistema se quer seguro pois é seguro mas se quer inseguro pois é inseguro , a openSource permite isso mesmo, acho que este artigo poderá levar interpretações erradas, parece que muita gente ainda pensam que manter segredo em tudo é sinal de segurança mas isso não é verdade quando se fala do software , partilha de conhecimento é maior segurança que pode haver

    • Eu sei que Linux não é o sistema operativo mas nem todos o sabem e, retirando a primeira frase de um artigo da wikipédia sobre Linux:

      “Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operativo que utilize o núcleo Linux.”

      Porque não transcreves-te a frase toda? Se o fizesses e a analisasses com mais atenção verias que digo que essa noção de segurança relacionada com sistemas operativos baseados no núcleo Linux é errada porque foi criado um SO muito inseguro baseado em Linux!

      Cumprimentos

  2. Linux é ruim!!!!!!!
    Essa conversa de que Linux é fácil de se usar é bobagem!! Ele é um sistema difícil de ser usado! Só é bom se você usar os softwares que já vem no LiveCD! se você for baixar da WEB para instalar e usar, você terá complicações:
    1- Se for um pacote diferente de .deb ou .rpm, você terá que instalar esse software por Linha de Comando, ou seja: você terá que fazer uma Compilação! No Windows não existe isso! É só dar 02 cliques com o Mouse e pronto!

    2- Há softwares para Linux que você tem que obrigatoriamente baixar as suas respectivas dependências. Até aí tudo normal, pois no Windows também há softwares que necessitam de dependências [.NET framework; Java; etc…]. O problema com os softwares para Linux consiste no fato de suas dependências quebrarem muito durante o download!

    A quantidade de softwares em Português é maior no Windows do que no Linux!!
    Se você está usando um soft e quer experimentar um outro também em Português, vai encontrar aonde?????? pode ser que você ache 2 ou 3, mas e se você quiser ouitros? E aí, como fica??

    Linux para mim é sinônimo de Sistema Operacional Complicado!!!! De que adianta ele ser mais forte em Segurança do que o Windows, e ser muita fraco na usabilidade para os leigos!!!! De que adianta??????

    • João Matias diz:

      Concordo com o seu comentário… Para quem nunca usou linux é muito complicado perceber o funcionamento do sistema operativo e ficar independente do windows para todas as tarefas.

    • scheldon diz:

      “1- Se for um pacote diferente de .deb ou .rpm, você terá que instalar esse software por Linha de Comando, ou seja: você terá que fazer uma Compilação! No Windows não existe isso! É só dar 02 cliques com o Mouse e pronto!”
      Pra que se tem repositórios? que permitem uma facilidade muito maior.

      “2- Há softwares para Linux que você tem que obrigatoriamente baixar as suas respectivas dependências. Até aí tudo normal, pois no Windows também há softwares que necessitam de dependências [.NET framework; Java; etc…]. O problema com os softwares para Linux consiste no fato de suas dependências quebrarem muito durante o download!”
      Mais fácil pedir pro sistema reinstalar do que resolver uma falha de DLL (ops…) ou um erro decorrente de de uma fragmentação de arquivo (desculpa, fui cruel)

      “Se você está usando um soft e quer experimentar um outro também em Português, vai encontrar aonde”
      Tem um site novo chamado google, já tentou ;)

      Isso sem contar interfase mais intuitiva e flexível.
      ou seja, VAI PRO INFERNO TROLL.

    • Pra quem quer segurança: Linux,
      Pra quem n sabe usar tudo em Linux: Google
      Segurança e Simplicidade! não acham?

  3. Desculpem o meu desabafo, (moderado: atenção aos insultos)! Custa-me ler certas coisas que estes brasileiros escrevem… E principalmente o que este welgil8 disse! O facto de não conheçeres linux já o consideras “ruim”??
    1- Quanto aos pacotes .deb ou .rpm, isso tudo depende da distribuição do linux. Existem software’s que já vêm instalados no SO Linux e que facilitam o utilizador nesse aspecto, é só sacar o pacote .deb ou .rpm e clicar 2 vezes como no Windows!
    2 – (moderado: atenção aos insultos) nem sabes que no linux o software é executado por bibliotecas, ou seja, essas “dependências” de que falas chamam-se bibliotecas!!! e claro que se não tiveres as bibliotecas instaladas no SO o mais provável é que não consigas correr a aplicação que pretendes!!
    3 – Se não ficasses à espera de que as coisas te caíssem ao colo, mas sim se fosses à procura, irias ver que existe muito software em PT para SO Linux, independentemente da distribuição Unix!!

    Fico lixado quando existem pessoas (moderado: atenção aos insultos) que limitam-se a falar de coisas que não conheçem!! e depois fazem um juízo final muito mal feito!
    (moderado: atenção aos insultos)

    • Alexandre Pinto diz:

      Eu não percebo porque razão os amantes de linux estão contantemente a tentar convencer tudo o resto que são os melhores.
      O Linux para mim não é o melhor… Alias, seria mesmo a ultima escolha.

      Passam a vida a dizer que linux é muito simples, intuitivo, que so usa consola quem quer, que tem tudo nos repositorias, etc.

      Pois a minha experiencia em linux não foi nada assim.
      É um sistema operativa apelativo graficamente, intuitivo nos seus menus, mas depois quer-se fazer algo mais complexo e nada.

      Para começar tive problemas com a resolução. Usava a ferramenta gráfica para configurar a resolução e sempre que reiniciava esta voltava aos 800X600.
      Andei a investigar em foruns e lá tive de andar a configurar um ficheiro para resolver o problema.

      Depois foi a instalação de programas. Falam de repositorios. Mas nem todos os programas estao nesses repositorios.
      Ok, estão em outros. O que se faz? Dá-se um monte de comandos para adicionar um novo.

      Estão sempre a dizer que já se faz tudo graficamente. A verdade é que todas as minhas vivencias em linux foram á volta de comandos, comandos e mais comandos.
      E para não falar das aplicações. A grande maioria são de fraca qualidade.
      Digam o que disserem o windows sim, tem muitos defeitos. Mas para mim é muito mais intuitivo, estou mais habituado, não falha naquilo que eu preciso e como tal não vejo razão para mudar.

  4. Muito bom o blog. Parabéns!!!

  5. Linux só usa quem quer.

  6. Eu só uso Linux e aconselho…

    1. sou professor (não de informática) e uso muito…
    a) aplicações de produtividade, geralmente se o Oo não me serve, serve o abiword… nunca me deu problemas… no fundo é para escrever e inserir números e tabelas…

    b) para desenhos também uso muito o gimp (que é um autêntico photoshop de borla) e o inkscape (desenho de vectores e essas coisas mais complexas… @Alexandre Pinto)…

    c) para compilar, o processador de texto levíssimo predefinido do KDE (Kate) até me ajuda a ver se tenho erros assim que escrevo uma linha… é como que um notepad inteligente…

    2. tenho um ambiente gráfico extraordinário (KDE com composição e efeitos personalizados) e a minha gráfica é conhecida por dar problemas de driver… mas nas últimas distros já vem tudo a funcionar 5*’s…

    3. sou escravo da personalização: a maleabilidade do ambiente gráfico, dos efeitos, daquelas coisinhas como o Cairo-Dock, Superkaramba, Compiz… a minha área de trabalho até brilha…

    4. jogo WoW, CS, Savage 2 e teeworlds, já fui jogador mas aferrado, mas continuo a jogar estes… tão simples como clicar UMA vez no atalho na minha área de trabalho…

    5. adoro sempre que tenho de ir à consola inserir “um monte de comandos complicadíssimos” para adicionar um repositório (add-apt-repository “nome do repositório”)… vejo o computador a funcionar, assim como no boot… tenho o splash desactivado para ver os serviços a activarem…

    gosto do meu computador, aprecio vê-lo a funcionar e compreender o que se passa em vez de pagar para que me escondam o que o computador está a fazer

    gosto do meu computador, gosto de ter um ambiente de trabalho bonito, maleável e de poder modificar tudo como quiser com dois ou três cliques

    gosto do meu computador, gosto de saber que jogar é um passa-tempo e não o objectivo da sessão que acabei de iniciar

    gosto do meu computador, gosto de o manter rápido e que ele só faça o que lhe peço, que saiba onde as coisas estão no disco sem o ter de desfragmentar, que reconhece qualquer dispositivo sem ter de andar cá com driver e chofeurs

    gosto do meu computador, gosto de navegar por sites muito foleiritos sabendo que não tenho qualquer problema de segurança (que mesmo que apareça posso participar e daqui a uma ou duas semanas está resolvido para toda a gente no mundo que sofra dele)

    gosto do meu computador, gosto de escrever apenas o título do site, e às vezes com erros, e que o firefox vá paternal e rapidamente lá ter, de arrastar um ficheiro para cima de um applet e que ele decida a forma mais rápida e publique automaticamente o ficheiro na internet e me dê o link directo

    GOSTO DO MEU COMPUTADOR, GOSTO DA LIBERDADE, GOSTO DE NÃO GASTAR DINHEIRO PARA O PODER USAR, GOSTO DE SABER QUE NÃO ESTOU A ENCHER OS BOLSOS A UMA CAMBADA DE EGOÍSTAS PROPRIETÁRIOS QUE SE RECUSAM A VER O FUTURO, GOSTO DE TER TUDO O QUE OS UTILIZADORES DE WINDOWS TÊM, MAS NA VERSÃO 2.0

    O problema é que Linux não é Windows, claro que não, é diferente (muito melhor) e como muitos problemas, este radica na pressuposição de uma re-educação que a maioria dos utilizadores de computadores não estão dispostos a percorrer, é a inércia…

    • és o meu ídolo, lol

      eu pessoalmente sigo muito essa filosofia, ainda uso o splashscreen, o do Ubuntu é bonito ^_^

      já agora obrigado por umas dicas que me deste sem querer

    • Diogo I. diz:

      Falaste muito bem, não gaguejaste, mas esqueceste um dado fundamental na tua dissertação: A INTUITIVIDADE DO LINUX que é igual a 0 (zero). Ou seja, o modo gráfico é muito simples e de acesso a quase qualquer um mas se necessitas de saber como o teu computador trabalha, os processos que estão activos, compilar, etc, etc, etc, etc, temos de ser engenheiros informáticos, ou algo do género para conseguir isso…e isso é impagável no Windows, mas simples é impossível!!!!

      • **********************Dissertação nº2**********************

        ****************** “Resposta a Diogo l.” ******************

        Para Diogo l.
        obrigado porque perguntas
        e desafios excitam a mente!

        1. intuitividade igual a zero???

        mas se tens as aplicações ordenadas por categorias e os locais e as configurações separados nas barras?.. podes até pôr tudo exactamente como quiseres… que mais intuitividade queres?

        se o utilizador médio não vai ter nunca de ir à consola (discutível, eu pessoalmente sempre que posso prefiro a consola em modo -verbose)… mas pelo menos não vai ter de instalar programas para abrir pdfs, zips, ficheiros de texto/excel… editar imagens… ver filmes ou utilizar periféricos…

        aliás… dá uma olhadela no UbuntuUltimateEdition (eu sei que graficamente é demasiado carregado) mas NUNCA VAIS TER DE INSTALAR NADA…. vem com tudo o que alguma vez vais precisar para usar o computador. Desafio-te a instalá-lo e a não conseguir fazer alguma coisa…

        a intuitividade de Windows é muito menor… se me vieres falar de Mac ainda tens um argumento, agora em Windows não podia discordar mais.
        Windows tem um modo particular de funcionar, nada simples, apenas muito escondido (e também tens de saber como funciona, é lógico)… mas já estamos é todos treinados em Windows porque foi o SO com que começamos a usar PCs… sabemos o que são .exe, sabemos que não convém mexer em .dlls, sabemos que temos de ir a C:\Programas\bla bla para encontrar os programas no disco… é uma questão de re-educação… Windows funciona duma maneira, Linux (quase todas as distros são diferentes) doutra e MacOS doutra… temos sempre de aprender a trabalhar neles e a forma como eles trabalham…

        2. e queres ver os processos?

        Aplicações>Sistema>Monitor de Sistema… mostra os processos, a respectiva carga para o(s) CPU(s), RAM, a utilização do disco…
        (Em KDE… eu pessoalmente tenho um monitor de sistema na área de trabalho que mostra sempre os processos)
        como se faz isso em Windows??? ah pois… ctrl+alt+del… realmente muito intuitivo…

        queres compilar?

        já tens por definição imensas linguagens para programar e instalar outras é tão simples como abrir o Synaptic>procurar e carregar em Instalar…
        mas abre lá o Kate e ele ajuda-te a escrever…
        abre uma consola noutro ambiente para ir correndo o que compilares e veres os erros…

        Agora não me confundas intuitividade (o que é que queres dizer com isso mesmo?) com utilização avançada (compilar e controlar os processos)…

        Oh pah… eu prefiro Linux porque gosto de aprender, de saber o que se passa e de saber que estou seguro e tenho muito suporte da comunidade se tiver problemas… mas sobretudo pela filosofia… mas é só a minha opinião!

        ******************Posfácio******************

        Eu só falo da minha experiência, do que acho, não faço lutas contra titãs capitalistas que num mundo liderado pelo dinheiro e com a ajuda das empresas que explorem tudo o que sejam nichos de mercado (jogos, programas de CAD, de Tradução Assistida por Computador, de seja o que for que dê dinheiro…) possuem a maior fatia de utilizadores…

        Mas como disse no meu outro Post…
        Open-Source é o futuro… O mundo há-de mudar porque mais pessoas como o Stallman hão-de criar alternativas baseados no mesmo espírito Open-Source noutros campos da vida!

        Ok, desculpem pelo panfletarismo!

        • Diogo I. diz:

          t1460-the black and red penguin, não me vou perder muito, até porque no final do teu comentário até já trocava os olhos.

          De facto, tens razão nos pontos que foste desmantalando ao longo da dissertação nº 2, mas acabaste por olvidar um factor importante que acontece, por tradição ou não, que é a realidade: se Linux fosse para todos e todas, a grande maioria já tinha mudado, não concordas?

          Obviamente que vejo no Linux demasiadas vantagens e muito subaproveitamento, mas para o bem e para o mal, o Windos é rei, qual Apple, qual Torvaldo, quem leva a melhor é Windows.

          Dou-te um exemplo claro, que aconteceu na nossa realidade ainda há bem pouco tempo: o Magalhães. este “piolho canceroso” apresentava dois sistemas operativos. Dos muitos que me passaram pelas mãos, a grande maioria da juventude só usava o XP, sistema operativo, na minha opinião, já obsoleto, mesmo quando comparado com o Caixa Mágica.

          Uma coisa é certa e ambos estamos totalmente de acordo, o Open-source é o futuro, mas somente quando os programadores do mesmo se aperceberem que tem de criar prdutos para as massas e não apenas para nichos, como acontece actualmente, ou seja, quando um qualquer uilizador novato possa pegar no sistema e trabalhar com ele, como por exemplo aconteceu com o meu pai quando lhe instalei o Windows 7 e ele tomou contacto com a informática pela primeira vez foi quase instantâneo…em operações básicas, leia-se.

          • Francisco Marques diz:

            O Linux é sem dúvidas um sistema operativo promissor, seja que versão seja, mas o Windows continua e penso que continuará a dominar por todo o mundo, não fosse ele um dos mais pirateados…Disusssão salutar esta!

          • “Se Linux fosse para todos e todas, a grande maioria já tinha mudado, não concordas?”

            Hmmm… pessoalmente acho que não… sei de facto que há muitas forças a impedir o progresso dos SOs livres… por exemplo coisas tão simples como o registo de patentes de formatos (.gif vs .png)…

            Sabias que accionistas da Microsoft registaram a patente do (na altura famosíssimo) algorritmo de compressão das imagens GIF só para impedirem legalmente que outros pudessem alterar essas imagens livremente? daí o nome do formato mais usado em sistemas Linux:
            (its ok… because Png is Not Gif = PNG)…
            (não estou a inventar nada: http://www.cl.cam.ac.uk/~mgk25/stallman-patents.html )

            Há muita coisa a impedir o avanço do Open-Source… Todo o tipo de problemas e pressões (o facto de não haver uma equipa de programadores a ganharem montes de dinheiro para entrar às 8 e sair às 5 por detrás dele é capaz de atrasar as coisas)… E ainda assim… quem vai tendo contacto vai aderindo, experimentando, há mais gente a usar a cada ano que passa, mesmo parcialmente, sistemas Linux…

            Em relação à Caixa Mágica concordo completamente… dual-boot num processador Atom daqueles com um SO baseado em Mandriva foi uma jogada um bocado desleixada… e também verifiquei que houve muito pouca aderência… até o grosso dos Insys e-escolas que vinham apenas com Caixa Mágica sofreram mudanças de SO para XP…

            Incrivelmente, o que reparei nos Magalhães é que muitas crianças bootavam a Caixa Mágica para jogar… (Supertux e Tuxkart) quando o grande argumento contra Linux é isso de “não dar pra jogos!”

            Não são títulos vencedores de medalhas e muito menos originais mas a ironia dá que pensar! :P

            Mas discordo completamente quando afirmas que actualmente os “Linuxes” estão a ser produzidos como SOs para nichos… :O a sério? achas mesmo? há SOs para colmatar falhas… para servidores, com foco na segurança, na edição multimédia, nas crianças, numa determinada língua…

            Mas repara bem nas versões do Windows: Server (dos quais Enterprise,Datacenter…), Ultimate, Mobile, Basic, Small Business… É que nem sequer conseguem variar assim muito, mas mudam de nome para abordar outros mercados.

            Não achas que a tendência geral é para o “graficamente simples”? para o “organizadinho”? para o “não vás à consola, faz antes assim que é mais fácil”? Isso é simplificação, é abertura ao universal…
            Enquanto que as do Windows são muito mais claramente ataques a nichos de mercado????

            Eu sei que é difícil… implica muita mudança, sobretudo no tipo de utilização que damos ao nosso computador… e sobretudo porque tivemos educações informáticas diferentes… mas Prefiro e aconselho!

            Achas que para operações básicas um Kubuntu ou Linux Mint não serviam igualmente bem qualquer novato? Nem tinham de instalar java nem flash, nem acrobat reader nem Office, nem winzip nem codecs…

            Não queria nada fazer uma “defesa do Linux”… não pretendo convencer ninguém, falo da minha experiência, gosto tanto de Linux que nunca mais voltarei a Windows se o puder evitar.

            Obviamente não tenho as vistas tão curtas que não veja que tem falhas e deficiências, MUITAS (até porque é desenvolvido por mim e por ti e por cada um de nós no nosso tempo livre *cough cough mais ou menos cough cough*) mas o que me seduz em Linux nem é nenhum dos possíveis argumentos concretos, é a Filosofia!

  7. Eish eu estou a mudar para o ubuntu, e já é o que mais utilizo, vou ter de reorganizar o meu disco mais cedo ou mais tarde tirando espaço ao XP…

  8. Tenho mesmo de escrever menos!
    Desculpem lá moderadores!

  9. muitos veem pra qui falar bem do linux.. mas a pensaram alguma vez viver sem windows? se e pa discutir o mais seguro porque nao chamar pra qui SO MAC?

    pensem nisso, ;D

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: