« Peazip, compressor alternativo às versões comerciais ACAPOR quer bloquear The Pirate Bay em Portugal »
16/09/2010
Escrito por em Dicas | 1.969 Leituras

Para a Microsoft parece que o assunto «segurança» tem vindo a ganhar destaque, especialmente se tivermo em conta as falhas e vulnerabilidades encontradas quase de forma diária nos seus vários produtos. Assim, numa derradeira tentativa de tentar colmatar essa falha, a empresa de Redmond tem vindo a incluir e desenvolver algumas ferramentas e patches que vão no sentido de melhorar os seus softwares. O EMET, ou Enhanced Mitigation Experience Toolkit, é uma das iniciativas, que pode ser definido como um programa que nos ajuda a dar permissões diferentes e a monitorizar processos utilizados por software de terceiros.

A verdade é que esta ferramenta explicada pode ser complicada de entender mas o exemplo seguinte pode ajudar na matéria: por exemplo uma empresa que utilize software comercial ou menos conhecido, por vezes pode ficar fora de controlo dos administradores de sistemas, sendo aí mesmo que entra o EMET, numa tentativa de correcção de falhas ou bloqueio de aberturas de portas desnecessárias, etc, etc.

O grande objectivo do EMET é fornecer políticas de segurança individual e acompanhamento dos processos, acesso, etc, para assim minimizar os efeitos dos ataques e violações de segurança. Esta versão está disponível para o Windows (Windows 7, Windows Server 2003 Service Pack 1, Windows Server 2008, Windows Server 2008 R2, Windows Vista Service Pack 1 e Windows XP Service Pack 3) visto serem as versões do Windows que permitem activar a DEP (Data Execution Prevention), o SEHOP (Structured Exception Handler Overwrite Protection), o ASLR (Address Space Layout Randomization), etc.

Resumidamente, este programa pode funcionar como uma espécie de escudo preventivo com aplicações que possam eventualmente apresentar anomalias que permitam falhas/vulnerabilidades e entradas maliciosas não autorizadas, principalmente se tivermos em conta que o Windows é um sistema operativo fechado e que muitas vezes, sem conhecimento de causa, se criam aplicações que acabam por se demonstrar altamente perigosas por não saberem as directivas de programação Windows. Culpa da Microsoft? em grande parte sim, mas nos últimos tempos temos vindo a observar uma grande mudança.

Um bom exemplo da aplicação desta ferramenta é a aplicação de medidas preventivas, enquanto se aguarda uma solução definitiva no final do mês, nos programas da Adobe, o Reader. Há que precaver-se:

Download: EMET 2.0

Este artigo foi escrito por em 16 Set, 2010, e está arquivado em Dicas, Downloads, Software, Utilitários, Windows. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: