« CCleaner, limpar e optimizar o seu PC é com ele NoClone, acabe de vez com os ficheiros duplicados no seu sistema »
25/02/2010
Escrito por em Mundo | 1.874 Leituras

Uma vez condenados os grandes do P2P, chega agora a vez dos sites de alojamento e download directo, como é o caso do Rapidshare, que em boa verdade são as grandes fontes de pirataria hoje em dia. Piaratarias à parte, o âmbito desta notícia prende-se com o facto de a Rapidshare ter perdido um caso em tribunal e estar colocada a possibilidade de começar a rever os conteúdos dos seus ficheiros alojados.

O processo judicial remonta ao início de Fevereiro, relativamente a 148 livros digitais alegadamente alojados sem permissão dos respectivos proprietários legais dos mesmos, pelo que o grande objectivo do conjunto de empresas que processou o Rapidhsare era proibir as pessoas que os alojaram de voltar a enviar conteúdos para os seus servidores.

O Tribunal de Hamburgo acabou por decidir que até dia 17 deste mês a RapidShare teria de apagar todo esse conteúdo em causa e que TODOS os seus ficheiros enviados deveriam começar a ser verificados antes de serem autorizados para publicação geral e download de qualquer um.

Uma vez que arranque esse sistema de verificação, começa-se a desenhar o provável final daquele que é um dos maiores distribuidores de conteúdos do mundo.

Este artigo foi escrito por em 25 Fev, 2010, e está arquivado em Mundo, Notícias, Websites. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
4 comentários em “Rapidshare perde caso em tribunal e pondera rever conteúdos enviados”
  1. paulopinto1991 diz:

    Se isso acontecer, é mesmo provável que o RS, deixe de ser utilizado,…

  2. Se isso acontecer, o pessoal começa a usar Hotfile. É cagativo.

    O Warez e a partilha não vão acabar.

  3. NETLOAD, MEGASHARES, HOTFILE, UPLOALING, ETC, ETC…
    QUE SE FO%&## A RAPIDSHARE… AQUILO SÓ SERVIA MESMO PARA ALOJAR PIRATARIA… LOL
    SEM ESSES CONTEUDOS, VAMOS VER QUANTO TEMPO ELES SE VAO AGUENTAR…
    BEM, A NAO SER QUE CAGUEM PRAS MULTAS E CONTINUEM A ALOJAR PIRATARIA (QUE DUVIDO), POIS SEMPRE QUE ELES TOPAM QUE O CONTEUDO É PIRATARIA ACABAM COM OS LINKS. MAS CONTROLAR TANTO UPLOAD É UM POUCO COMPLICADO.

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: