« Listagem dos Downloads, Janeiro 2011 You’re Winner (III): Smurf Rescue »
01/02/2011
Escrito por em Mundo | 2.852 Leituras

Stuxnet, é o nome do worm de computador que atacou a central nuclear Bushehr iraniana em Setembro passado e do qual se vem a revelar agora que este pode vir a causar mais danos do que aquilo que seria de esperar. De momento, após um exaustivo estudo de algumas nações alheias ao Irão, ficou-se com a ideia que o worm em questão pode causar a fusão do reactor, levando a uma catástrofe de proporções gigantescas, no caso de a central voltar a ser activada.

É certo que a fonte do relatório que apresenta estas conclusões é, para já, anónima, ficando no entetanto o grave alerta no ar com o intuito de se evitar uma nova Chernobyl. Estão neste momento alguns políticos de influência internacional em campo, pedindo o apoio da NATO de forma a investigar a situação e a possibilidade de ocorrência da mesma.

Por outro lado, na comunidade são muitos os especialistas cépticos sobre os danos provocados pelo Stuxnet a nível técnico, afirmando-se, isso sim que o vírus pode muito bem ainda pairar pela central nuclear, tal como ainda paira nos dias de hoje por mais de 100 mil computadores em todo o mundo.

A verdade é que apesar de todas as investigações, ainda não se conhece o verdadeiro responsável pelo ataque à central nuclear de Bushehr, mas as principais suspeitas recaem sobre Israel, principalmente pelo facto de ter ficado claro que o Stuxnet foi concebido especificamente para um ataque naquela planta e, por coincidência ou não, Israel possui plantas nucleares muito similares, onde se julga que o virus terá sido testado.

Entre acusações e ataques, não se esclarecem muito bem as coisas, podendo neste momento estar em perigo a vida de centenas, se não mesmo milhares de pessoas devido a um virus informático…

Este artigo foi escrito por em 01 Fev, 2011, e está arquivado em Mundo, Notícias, Segurança. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
10 comentários em “Chernobyl 2 no Irão provocado por um worm?”
  1. André Vieira diz:

    Ainda dizem que a Energia Nuclear é segura… Esquecem-se de pormenor destes e também atentados terroristas.

    O que causaria mais estragos num cenário Kamikase? Uma central nuclear ou um moínho de vento? Pois…

    • O problema que se sucedeu não foi devido a ser “Energia Nuclear” mas sim por ser controlada por computadores, o que a torna viável de ataques.

      Mas então as outras centrais de energia não são controladas por computador? Sim! Apenas não tem tanto interesse de ataque devido às consequências de uma explosão serem muito menos nefastas. Numa central eléctrica a petróleo, iria haver grandes explosões e combustões fortes… mas após o fogo terminar podia-se fazer o rescaldo, limpar e a vida continua. Numa central nuclear as consequências fazem com que o retorno à vida anterior a uma catástrofe não ocorra. Os elevados níveis de radiação fazem com a a zona de afectação da explosão seja uma zona morta (e consequentes problemas de saúde que se estende a várias gerações das pessoas afectadas) durante muitos anos (tenho o número de 150 anos na cabeça, mas não sei se é este ou uma confusão qualquer).

      Daí, quando um país quer afectar outro pela via da energia, causar um problema destes é muito mais eficaz numa central nuclear do que nas restantes centrais.

      Em relação à Energia Nuclear ser segura ou não… é a mesma perspectiva de ter acidente num carro ou num avião. O Avião é muito mais seguro… contudo, caso tenha uma avaria, as consequências podem ser muito piores que num carro devido ao despenhamento e não poderes “parar” aquando da ocorrência do problema. Já no carro… a acontecer alguma avaria no carro, a maior parte delas, podes parar o carro e sair dele. Pensa em por exemplo, acabar o combustível: no carro, ele para e tu sais; no avião, ele para e…despenha-se lol.

      Daí, quando se diz que a Energia Nuclear é mais segura, poder não ser em termos de consequências (quase que aposto que não é), mas sim em termos de controlos existentes numa Central Nuclear.

      Já me estendi, mas pronto, ninguém vê lol.

      Cumps

      • André Vieira diz:

        Estou ao corrente de tudo o que indicou. O mesmo post foi criado mais com a cabeça noutro fórum, quando estava a ler esta notícia. Quis apenas passar a mensagem que a energia nuclear não é a maravilha que muita gente pensa, visto que apesar de ter diminutas emissões de CO2 (directamente, porque indirectamente já é outra história), acarreta enormes riscos noutras áreas, como por exemplo a que eu enunciei anteriormente.
        Sim, afastei-me do tópico do worm, mas como indiquei anteriormente, estava com a cabeça noutro local e escrevi aqui. Como já deve ter confirmado sou defensor acérrimo das energias renováveis, que apesar de não serem perfeitas e também terem os seus inconvenientes, não sem duvida preferíveis em relação à maior parte dos combustíveis fósseis.

        Para quem tiver interesse no assunto recomendo fortemente o livro A Agonia da Terra do Astrofísico Hubert Reeves. Faz um apanhado da situação, extremamente interessante.

        Cumprimentos

        • Completamente de acordo – apesar de não ter tido o prazer de ler esse livro.

          Apesar do meu comment, não é que seja um apologista da energia nuclear… depende muito dos casos. Mas havendo opção entre uma energia fóssil, nuclear ou renovável, será uma burrice se a escolha óbvia não for a última. O problema é que esta não está acessível a todas as carteiras, nomeadamente nas quantidades desejáveis. Um problema grande das energias renováveis, é que apesar da fonte de rendimento ser “teoricamente” (estas aspas não se refere ao descrédito no infinito da fonte, mas sim que até a energia solar ficará sem uso quando, daqui a uns milhões de anos o Sol morrer) não tem uma corrente regular de fornecimento, o que impossibilita grandes planeamentos quanto ao output criado em dada altura.

          Mas isto são divagações claro, as energias renováveis são importantíssimas e o futuro!

          Cumps

          • André Vieira diz:

            Concordo parcialmente. As energias renováveis apresentam a dita limitação do facto de não estarem sempre disponíveis, mas para isso mesmo é que existe uma enorme variedade a escolher desde a Eólica, Solar, Biomassa, geotérmica (sempre disponível), hidroeléctrica, etc. Uma combinação de todas tornaria a situação de falta de energia praticamente inexistente. Mas mesmo que tal não fosse possível, actualmente já se encontram em desenvolvimento tecnologias de armazenamento de energia, coisa que actualmente é em grande parte uma miragem.

            Apenas um aparte que me fez alguma confusão que tem a ver com o tua/sua separação do termo fóssil com nuclear. Existem variados tipos de energia nuclear, que usam diferentes tipos de combustível. Alguns têm reservas extremamente limitadas (urânio-235 que é usado nos reactores habituais) e outras que são praticamente ilimitadas como a fusão do hidrogénio com o hélio, mas que ainda não se domina a dita tecnologia.

            Obviamente que existem muito mais particularidades e eu não sou a pessoa indicada para falar delas porque sou apenas um gajo interessado no assunto e que se empolga imenso neste tipo de discussões saudáveis (como já deve ter sido possível reparar lol).

            Cumprimentos

          • Sim, a combinação de todas, ou algumas vá, iria colmatar a falta de corrente constante de algumas energias renováveis. Mas isso leva ao que disse no primeiro comment… são dispendiosas, per si, quanto mais combinadas né? Mas também gostaria de ver todas as soluções energéticas do mundo a passarem por centrais de energia renovável. Não estou a par de qualquer armazenamento de energia, mas acredito que isso seja estudado a fundo porque a utilidade par ao mundo seria crucial!! Aliás, alguns modelos económicos de orientação da regulação no sistema energético teriam de mudar, nomeadamente os modelos de “peak e off-peak” mais os preços 2nd best/preços Ramsey…… DAM/*T lol.

            Em relação à separação do termo fóssil com o nuclear, é devido à energia nuclear não ser de carácter fóssil… e sim de “minerais radioactivos” como o urânio. Quanto à energia de fusão… é como os computadores quânticos… já se fala muito e como podem revolucionar o mundo… mas ainda não se consegue dominar ;).

            Quanto a seres apenas um gajo interessado… então és como eu! Apenas os progs do discovery e derivados dão a volta ao miolo da pessoa ;). Em relação às discussões saudáveis, eu snão quero outra coisa ;)

            Cumps

  2. lololol, grande dissertação! mas com bastante sentido!

  3. Hoje em dia cada vez há mais guerras digitais. Diz-se que os criadores da Stuxnet foram os EUA em parceria com Israel.

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: