« Nova tecnologia nas baterias de lítio faz aguentar o calor Acer planeia adquirir a iGware por 320 milhões USD para investimento em tecnologia cloud »
28/07/2011
Escrito por em Nacional | 2.559 Leituras

A unidade de Business Process Outsourcing da subsidiária portuguesa da Wipro vai fechar as portas, os números não falham e 200 pessoas vão ser despedidas!

A Wipro afirmou num comunicado que o apoio continuará a ser assegurado em outros países por unidades subsidiárias da marca e também que a actividade não cessará em Portugal, continuando a ser assegurada no pólo industrial da Tecmaia, na Maia.

A Wipro nasceu em 2006 em Portugal, devido à aquisição da Enabler, que pertencia à Sonae pela marca de tecnologia indiana.

Esta empresa originária da Índia começou a sua laboração em 1945 no sector da concepção de óleo vegetal, mudou o seu  Core Business para áreas de inovação nas tecnologias da informação. Possui no seu leque de clientes, uma carteira constituída por Sonae Distribuição, Supervalu, Ahold, Morrisons, Tesco, Nisa-Today’s, WE, Despar, Galerias Lafayette, Marktkauf (AVA), Esprit, Monsoon, Arnotts, Dubai Duty Free, Fabio Lucci /Tati, Cortefiel e A.S. Watson onde prestava auxilio na aplicação e implementação de novas tecnologias de informação nas suas empresas.

Com a crise que se tem vindo a arrastar em Portugal, a área tecnológica é também desprovida de recursos de renome com efeitos nefastos para os seus 200 trabalhadores.

Este artigo foi escrito por em 28 Jul, 2011, e está arquivado em Nacional, Notícias. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
3 comentários em “Wipro manda 200 pessoas para o olho da rua”
  1. mas a muita gente que ainda nao percebeu o que e um pais em crise. para nao dizer um continente.
    e preciso vergar a mola , e no final fazer contas a vida.

  2. Devo fazer um comentário

    “Possuía no seu leque de clientes, uma carteira constituída por Sonae Distribuição, Supervalu, Ahold, Morrisons, Tesco, Nisa-Today’s, WE, Despar, Galerias Lafayette, Marktkauf (AVA), Esprit, Monsoon, Arnotts, Dubai Duty Free, Fabio Lucci /Tati, Cortefiel e A.S. Watson onde prestava auxilio na aplicação e implementação de novas tecnologias de informação nas suas empresas.”

    O verbo penso estar mal aplicado, porque não é “possuía” mas sim “possui” porque o que esta notícia nos diz é que a unidade BPO vai fechar portas e não a Wipro. Penso que deviriam corrigir isso no post.

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: