« Linux Live USB Creator 2.8.4 Sony Ericsson Live Walkman proporciona uma experiência musical única para smartphones »
25/08/2011
Escrito por em Mundo | 2.965 Leituras

Steve Jobs, fundador e até ontem CEO da Apple, anunciou a sua decisão de se afastar do lugar que ocupa, cedendo a liderança executiva da empresa a Tim Cook, que desempenhava até aqui as funções de chief operating officer (COO) da empresa. Jobs comunicou a sua decisão ao conselho de administração da Apple, recomendando que o plano de sucessão que preconiza seja adoptado. “Sempre disse que se chegasse o dia em que não conseguisse cumprir as minhas funções e expectativas como presidente executivo da Apple, seria o primeiro a informar-vos. Infelizmente, esse dia chegou”. Para si, reserva o lugar de chairman da empresa tecnológica mais valiosa do mundo, aquela que na semana passada ficou a valer tanto como os 32 bancos que compõem a zona Euro.


Não se pode dizer que este afastamento seja uma total surpresa, na medida em que já era, de alguma forma, esperado, nomeadamente em função do agravamento do seu estado de saúde em Janeiro deste ano. Mas em Março voltou a aparecer em público para protagonizar o lançamento de uma nova versão do iPad, foi sendo visto a trabalhar no campus de Cupertino, na Califórnia, e mesmo em alguns eventos sociais, como o jantar oferecido por Barack Obama aos líderes tecnológicos de Silicon Valley. Segundo fontes tidas como próximas de Jobs, citadas pela imprensa americana, o seu estado de saúde acabou, todavia, por ditar uma mudança mais radical de vida, que contempla a renúncia agora comunicada ao lugar de CEO.

Poucos nomes terão cunhado de forma tão pessoal o mercado das tecnologias de informação como Steve Jobs. Líder carismático, amado e odiado como tal, Jobs ligou o seu nome, preferências e embirrações aos produtos lançados pela Apple, chamando a si a aprovação final das principais iniciativas da empresa. Não será por isso de estranhar que, apesar de a Apple ter suspendido a negociação das acções antes do anúncio da renúncia do seu CEO, os títulos tenham caído 5% no mercado after-hours. É um dos grandes construtores do mercado das tecnológicas e a sua ascenção, queda e finalmente triunfo à frente da Apple contemplam todos os ingredientes das melhores sagas do mundo dos negócios.

Agora, com 55 anos, ao que tudo indica, a grande batalha é por si mesmo.

 Fonte: Sapo

Este artigo foi escrito por em 25 Ago, 2011, e está arquivado em Mundo, Notícias. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
3 comentários em “Steve Jobs já não é CEO da Apple”
  1. Cá do raio do botão de Share on Facebook? :-P

  2. Realmente foi uma grande perda!

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: