« Foram identificados os responsáveis pelos ataques ao Facebook através da pornografia Netbooks na escola: projecto-piloto revela benefícios para professores e alunos »
21/11/2011
Escrito por em Destaques | 1.779 Leituras

bill-gates

Apesar de já se encontrar afastado dos planos da Microsoft, Bill Gates terá de responder em tribunal por mais uma queixa relativa ao Microsoft Word. A infração da qual a gigante informática é acusada remonta ao ano de 1994. Contudo, o tempo não parece ser capaz de apagar tudo, certo Bill?

O processo judicial que está a decorrer em Salt Lake City, nos Estados Unidos, opõe a Novell contra a Microsoft. O pressuposto do mesmo refere-se há perda de quota de mercado do WordPerfect que desceu de 50% para 10% aquando do lançamento do famoso Windows 95. Segundo a Novell, Bill Gates deu ordem aos engenheiros da Microsoft para recusarem a integração do WordPerfect no Windows 95, devido ao bilionário achar o software demasiado bom. Esta decisão fez com que a quota de mercado do programa caísse para os 10% e fez com que a Novell perdesse cerca de 1,2 mil milhões de dólares. A acrescentar a estas acusações estão insinuações de Bill Gates onde este referiu que o Microsoft Word nunca poderia ter sobrevivido sem as políticas anti-concorrenciais que a Microsoft implementou.

Este processo, que já se arrasta desde 2004, tem agora a resposta do mítico co-fundador da Microsoft. Em declarações no tribunal, Bill Gates, através do seu advogado, explicou que a sua decisão de não incluir o programa no Windows 95 deveu-se ao timeline de lançamento do mesmo. Foi explicado que a não inclusão do programa foi devido ao receio do produto bloqueasse o sistema e que não havia tempo para resolver incompatibilidades a tempo do lançamento do Windows 95.

Claro que o argumento tem mais do que lógica. Apesar de não se conseguir atribuir a característica de visionário ao co-fundador da Microsoft, sabe-se que o seu grau de inteligência está bem acima da média. Mas será que se safa da acusação? Acreditam-se na justificação dada pela defesa, ou este é mais um dos casos de abuso de posição dominante por parte da Microsoft?

Opiniões, posições e oposições –> Comments Section!!

Este artigo foi escrito por em 21 Nov, 2011, e está arquivado em Destaques, Notícias. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
2 comentários em “Bill Gates sentou-se novamente no lugar dos réus!”
  1. Não entendo, quando é a Microsoft chamam-lhe “abuso de posição dominante por parte da Microsoft”, quando a Apple bane aplicações por referenciarem o Android na sua descrição, e processar toda as empresas não se sabe bem porquê, é estratégia de mercado, ou outra coisa qualquer…………

    Ai ai essa imparcialidade (ou falta dela) ……

    • Lol, exactamente.

      Mas de facto é que a Apple tem se safado e muito dos processos de monopólio devido a não ter a quota de mercado que a Microsoft detém. Como a Apple se mantém com uma quota, relativamente, pequena, tem conseguido implementar acções que caso fosse a Microsoft, seria enxovalhada só pelo facto de pensar nelas lol.

      Cumps

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: