« DVDVideoSoft renova ferramenta de conversão de vídeo na suite multimédia gratuita Free Studio YouTubeMusicTop, para quem gosta de conhecer o top mundial da música »
27/03/2012
Escrito por em Hardware | 1.297 Leituras

No próximo dia 31 de Março assinala-se o Dia Mundial do Back (World Backup Day), um evento destinado a aumentar a perceção entre os consumidores da necessidade de criar estratégias de preservação dos seus conteúdos digitais.
Memórias irrepetíveis, sob a forma de fotos e vídeos; investimentos realizados na compra de música e filmes em lojas online; documentos importantes que foram digitalizados e armazenados sob a forma de ficheiros – tudo isto são conteúdos que é preciso preservar e cuja perda acidental tem elevados custos financeiros… e irrecuperáveis custos sentimentais.

O principal problema dos backups (vulgo “cópias de segurança”) é que funcionam um pouco como a decisão de fazer dieta ou deixar de fumar: “amanhã penso nisso”. Acontece que no mundo imprevisível dos equipamentos informáticos, “amanhã” pode ser tarde demais.

No website www.worldbackupday.com apela-se aos consumidores para que não se deixem enganar no dia Primeiro de Abril (em Inglês resulta melhor “Don’t Be An April Fool”) e encontram-se perguntas às respostas “porque preciso de fazer backups” e “como posso fazer um backup”. A ideia básica é sempre a de possuir uma segunda cópia de um ficheiro que considere importante, mas um bom plano de backup inclui muito mais do que apenas isso, designadamente com uma conjugação de cópias em locais fisicamente diferentes, para evitar também as perdas devido a roubos ou a catástrofes naturais (incêndios, inundações), as quais podem afetar várias cópias que se encontrem num mesmo local.

A enorme quantidade de conteúdos digitais que acumulamos hoje em nossas casas – e já não apenas nas empresas, onde tipicamente existem processos de backups e de contingência em caso de necessidade de reposição dos dados – também levou a uma mudança radical na forma como olhamos para os suportes ideais para backup.

Pilhas de CDs ou de DVDs tornaram-se rapidamente numa má solução para backups: a sua gravação é lenta, o espaço é limitado e, ao contrário do que muitas vezes se julga, a sua fiabilidade a longo prazo não é garantida; armazenar dados em pequenos discos USB de escassa capacidade, sendo útil para criar segundas cópias de ficheiros importante, também não é solução para preservar milhares de fotos, músicas e vídeos. Além disso, o seu pequeno formato, que o torna prático para transporte, também leva a que se possa facilmente perder.

Hoje, o melhor suporte para criação de backups é um disco rígido externo. Práticos e fiáveis, os discos rígidos substituem com vantagens pilhas e pilhas de discos óticos. A título de exemplo, um só disco rígido de 1 terabyte (1TB = 1000GB) oferece a capacidade equivalente a mais de 200 DVDs ou de 12.500 CDs.

Os discos de alta capacidade oferecem grande capacidade, são rápidos, fiáveis e permitem guardar todos os seus dados numa só unidade que se pode guardar em local seguro. Para maior segurança, é possível adquirir unidades externas que usam dois ou mais discos, de forma a que a informação possa ser duplicada e sobreviva à eventual avaria de um dos discos.

Este artigo foi escrito por em 27 Mar, 2012, e está arquivado em Hardware, Mundo, Notícias. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
4 comentários em “World Backup Day: qual é o seu plano B?”
  1. Jorge Xavier diz:

    Excelente ideia. Há uns tempos fui tentar recuperar umas fotos que sabia que tnha gravado nuns CD já há uns anos e… não consegui ler o CD! Dantes eram os discos ópticos que eram mais fiáveis do que os HDDs, agora são estes que são os mais fiáveis… lol

  2. Pois… tudo muito bonito ate o disco cair ao chao e acabar.se por se perder tudo na mesma….. o ideal seriam discos SSD, esses sim ^^

  3. Jorge Xavier diz:

    @ENfim, os discos rígidos modernos, desde que não estejam a funcionar, resistem bastante bem a quedas, sobretudo dentro das suas caixas externas. E a ideia, aqui, é a de criar cópias nos discos externos – por isso, o que se possa eventualmente perder, será recuperável.
    Quanto aos SSDs, a relação preço/capacidade não os torna interessantes para backups, e duvido que torne durante ainda algum tempo.

    • Pois jorge mas nem sempre resistem tenho um disco 2.5 de 500gb k me caiu ao chao dentro duma mochina de pc, e que deixou de funcionar quando estava a leva-lo para recuperar umas coisas k perdi num pc. :S e em relação ao SSD são em tudo superiores aos existentes no mercado o único senao é mesmo o preço, dá.lhe mais uns anos e vais ver que vao substituir completamente os outros ^^

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: