« Bose SoundDock 10, um desempenho áudio sem igual para iPod e iPhone Listagem dos Downloads, Maio 2012 »


As conclusões do estudo em e-Health, realizado a nível nacional, revelam a necessidade de uma maior divulgação deste tipo de plataformas, como uma das medidas comprometedoras do seu futuro. A população inquirida pelo e-Health Inovação Portugal 2012, dividida entre médicos, farmacêuticos e enfermeiros, atribuiu ao Ministério da Saúde a função de principal responsável nesta promoção, e indicou com maior intensidade falhas logísticas (equipamentos, acesso à Internet), e de formação, na sua utilização.

De acordo com os resultados obtidos junto de 1500 profissionais de saúde, os médicos – com maior incidência nos especialistas em oncologia – constituem o target mais familiarizado com o e-Health. Inversamente, o conceito apresenta um menor grau de notoriedade junto dos farmacêuticos, ainda que, de modo geral, tenha vindo a tornar-se mais familiar para a maioria dos indivíduos inquiridos. De entre aqueles que utilizam plataformas de e-Health, a frequência de utilização deste tipo de soluções é consideravelmente elevada, sendo que mais de metade deste universo fá-lo pelo menos uma vez por semana.

A pertinência e importância do e-Health, no dia-a-dia profissional, têm vindo a crescer, registando-se como principais vantagens da sua utilização, o acesso a mais informação, a maior facilidade e rapidez no contacto e a rentabilidade de recursos. A prescrição eletrónica e a telemedicina foram também referidas com elevados níveis de notoriedade. Todavia, este tipo de dinâmica auxiliar é, na perceção dos inquiridos, comprometida pela falta de comunicação da sua existência e formação específica para ferramentas do e-Health.

O projeto e-Health Inovação Portugal 2012, patrocinado pela Fundação Portugal Telecom e que contou com o apoio institucional da Ordem dos Médicos, Ordem dos Farmacêuticos, Sindicato dos Enfermeiros Portugueses e International Journal of Healthcare Management, foi desenvolvido pela Guess What PR, constituindo-se como o primeiro levantamento, realizado em Portugal, acerca das perceções, atitudes e níveis de literacia tecnológica de profissionais e decisores do sistema de saúde em relação às várias inovações associadas ao e-Health e TI’s relacionadas. A investigação foi executada pela Spirituc – Investigação Aplicada e coordenada pelo Prof. Paulo Moreira, Editor-in-Chief do International Journal of Healthcare Management, da Many Publishing de Londres.

Este artigo foi escrito por em 01 Jun, 2012, e está arquivado em Nacional, Notícias, Tecnologia, Websites. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: