« Guardou os seus cartuchos da SEGA e da Super Nintendo? jogue-os no PC MediaPortal, o seu PC como centro multimédia »
14/04/2010
Escrito por em Gadgets | 4.853 Leituras

O iPhone OS 4.0 foi apresentado na última quinta-feira, numa keynote conduzida por Steve Jobs. Apesar de não termos conseguido mencionar nesse dia as novidades, nem nos dias seguintes, fica aqui hoje provavelmente,e  passo a modéstia, um dos mais compreensivos artigos sobre as novidades, as implicações das novidades, datas e demonstrações. Bem-vindos ao iPhone OS 4, onde a palavra de ordem foi mesmo… multitasking ;-)

Primeiro mesmo referir que a keynote foi uma mera apresentação das novas funcionalidades do iPhone OS, que está agendado para lançamento oficial no Verão (será provavelmente lançado juntamente com o iPhone HD, cujo lançamento a blogosfera aponta, baseado nos mais recentes rumores, para 22 de Junho). Por agora, está disponível uma versão para programadores assinantes do iPhone Developer Program, de modo a que estes compatibilizem e melhorem as suas aplicações de modo a tirarem o melhor partido possível das mais de 1500 novas API’s introduzidas na versão 4.0 do iPhone OS.

De referir também que a fonte de uma grande parte das imagens é o directo efectuado pelo fantástico Gizmodo, assim como do site oficial da Apple.

Steve Jobs descreveu assim o seu novo sistema operativo:

O iPhone OS 4 é a quarta grande versão do sistema operativo móvel mais avançado do Mundo.

Esta versão, na óptica do utilizador final, introduz cerca de 100 novas funcionalidades, mas Jobs optou por realçar apenas 7.

A primeira delas…

1.Multitasking

Finalmente o multitasking para aplicações de terceiros chega ao iPhone. Segundo o CEO da Apple, e à semelhança do ocorrido com o copiar-colar, não foram os primeiros a implementar a tecnologia, mas são com certeza os melhores. O multitasking no iPhone é simples: duplo-clique no botão Home, e uma pequena dock inferior aparecerá, com uma lista das aplicações actualmente em execução. Seleccione uma delas, e aí tem, multitasking!

Mas o problema com a implementação do multitasking da Apple é que, na prática, isto não é multitasking. Multitasking implica o uso de uma aplicação enquanto outra corre em simultâneo, com todos os recursos do sistema disponíveis para qualquer das aplicações, priorizadas pelo próprio sistema operativo e não pelo utilizador. Apesar de no vídeo parecer que é isto que acontece, o multitasking é, digamos, virtual. A Apple, de modo a evitar a enorme perda de bateria que o multitasking puro causaria, limitou as possibilidades das aplicações correrem em simultâneo a 7 situações (andam a ligar bastante a misticismos…), ou seja, apenas e só em 7 casos específicos poderá correr várias aplicações, e não a aplicação completa, apenas algumas das suas funcionalidades:

  • Background audio: Permite, por exemplo, que uma aplicação esteja a reproduzir som mesmo que não esteja focada. Ideal, por exemplo, para controlar o leitor de música do Pandora enquanto por exemplo, navega na web. (na demonstração da Apple, a performance do browser não foi muito afectada, mas umas actualizações generosas de hardware seriam certamente algo com que o iPhone benefeciaria).

  • Voice over IP (voz sobre IP): Fazer, receber e atender chamadas através do Skype mesmo que a aplicação não esteja focada? É agora possível. Depois de alternar entre aplicações, caso receba uma mensagem através do Skype, ou uma chamada, receberá uma notificação (e respectivo irritante som do Skype),e  poderá atender directamente a partir dessa notificação. E, pode continuar a falar com alguém via Skype e ao mesmo tempo usar outra aplicação – uma barra vermelha no topo indicará que a chamada ainda está a decorrer.

  • Background location (geolocalização): Ideal para aplicações como o TomTom GPS lhe fornecerem indicações por voz sem ter que focar a aplicação. E em relação a aplicações de partilha da localização em redes sociais, como o loopt, o Gowalla e o Foursquare? Ter o GPS sempre ligado para monitorizar a localização consome imensa bateria, portanto a Apple decidiu implementar uma nova forma de interacção com estas aplicações: quando muda de ponto de ligação à rede (torres de ligação, o que acontece a cada 500-2000m), o iPhone indicará à aplicação que mudou de localização, e ela actualizar-se-á. Poderá ver se uma aplicação está a pedir a sua localização através de um indicador na barra de estado e poderá também definir individualmente permissões para cada aplicação que faça uso do serviço:

  • Push notifications: Aqui nada de novo, processadas nos servidores da Apple, foram enviadas cerca de 10 biliões. A novidade está nas…
  • Local notifications (notificações locais): Semelhantes às Push Notifications, são o sistema de notificação do iPhone, mas sem a necessidade de serem processadas por um servidor. Uma notificação pode ser enviada a partir de uma aplicação que não esteja focada e aparecer na aplicação actualmente focada, permitindo ser avisado de um evento no calendário, de um novo ‘tweet’, mesmo sem ter a aplicação do calendário/Twitter aberta. Sem qualquer necessidade de um servidor, tudo efectuado directamente no telefone.
  • Task completation (completação de tarefas): Basicamente, permite que aplicações completem certas tarefas mais demoradas mesmo que em background. Ideal para fazer upload de um ficheiro enquanto vê um filme, ou lê um livro.
  • Fast app switching (troca rápida de aplicação): É aquilo que mais se aproxima do multitasking puro na implementação da Apple. Permite parar completamente uma aplicação, guardando o seu estado. É como ‘congelar’ uma aplicação. Quando voltar a focar essa aplicação, estará exactamente no mesmo ponto em que estava, sem perder quaisquer dados. Permite parar, por exemplos, jogos, enquanto vai verificar o novo email.

Estas aplicações não necessitam de ser fechadas, a gestão é efectuada pelo SO. Mas, pode fechá-las, caso queira, premindo o ícone dessa aplicação na dock das aplicações abertas durante alguns segundos e depois clicando no “-” que aparecerá.

Esta é a implementação do multitasking por parte da Apple. Uma implementação tipicamente ‘Apple’ (não só porque … é limitado) a pensar apenas no utilizador final e na conveniência na utilização do software, de modo a que não haja qualquer preocupação com tarefas mais básicas como a gestão das aplicações. Apesar de ser um conceito interessante, talvez não satisfaça o utilizador mais exigente e algumas questões de ordem prática (o atalho de teclado para aceder ao multitasking já é utilizado por algumas aplicações) e teórica (como correr aplicações em multitasking com funcionalidades que não se enquadrem nestes 7 casos específicos? Simplesmente não se correm…)

2. Pastas para aplicações

Outra novidade apresentada, (e que já contava no catálogo de melhoramentos da Cydia, para iPhones com jailbreak apenas) são as pastas para organização de aplicações. Pode organizar aplicações com âmbitos semelhantes em pastas, apenas arrastando um ícone de uma aplicação sobre outro. As pastas aumentam o limite de máximo de aplicações instaladas no iPhone para umas incríveis 2160. Estas pastas podem ser facilmente guardadas na dock e quando uma das aplicações de uma pasta tiver uma notificação, a pasta terá um símbolo “!” acoplado.

3. Melhorias na aplicação Mail

A aplicação de email do iPhone também recebeu algumas melhorias, entre elas uma caixa de entrada unificada, com emails de várias contas reunidos numa só local. Também existe a opção de rapidamente se alternarem entre elas. Possibilidade de se aceder a mais do que uma conta Exchange e mensagens em thread (como no GMail) são também duas novidades bastante bem-vindas, isto sem esquecer a possibilidade se abrirem anexos através de aplicações de terceiros.

4. iBook para iPhone

A Apple entrou no mercado da leitura digital com o iPad, e extende agora a aplicação e loja iBook ao iPhone. Centenas de milhares de títulos estão disponíveis para compra na Store, e basta comprar uma vez de modo a poder ler ou no seu iPad ou no seu Mac. Nada de limites.

Apesar de acreditar que a leitura de livros no iPad seja uma excelente experiência, não estou tão certo acerca disso em relação ao iPhone. O pequeno ecrã do dispositivo é capaz de talvez não proporcionar uma fantástica experiência. Créditos para a Apple por incluir uma excelente funcionalidade de sincronização via Wireless entre iPhone – iPad – Mac de favoritos e página actual do livro.

5.Funcionalidades Empresariais

Novas e melhoradas funcionalidades para uma ainda maior massificação do iPhone em plataformas empresariais. Melhor protecção de dados, encriptação de emails e anexo, gestão remota de dispositivos móveis, distribuição de aplicações via rede sem fios da empresa (elimina a necessidade de utilização do iTunes), suporte a múltiplas contas Exchange e também ao Exchange 2010. Suporte a VPN SSL da Juniper e da Cisco também acompanham o pacote empresarial do iPhone OS 4.

6. Game Center

Olha a Xbox Live para o iPhone! Já imaginou jogar os mais de 50.000 títulos disponíveis na App Store com os seus amigos? Competir com eles? Jogar contra eles? Ganhar-lhes? Convidá-los para jogar? Classificar-se num ranking entre todos eles? Jogar contra um aleatório jogador de qualquer parte do mundo? Ter um quadro para se exibir perante os seus amigos com os seus ‘recordes’ e objectivos completados? Já alguma vez imaginou toda uma rede social construída na base de um mero jogo?

Se já imaginou, está na altura de parar, porque tudo isto se vai tornar realidade com o iPhone OS 4.0. A Apple numa inteligente jogada comercial,  reveladora da cada vez mais vertente gaming dos seus produtos, lança esta plataforma de jogos online e aponta baterias à plataforma XBox Live. Será a Apple capaz de destronar a magnânima XBox 360 com uma improvável combinação de Game Center, iPhone’s, iPad’s e iPod’s Touch? Veremos, mas a Apple aposta num dos instintos mais básicos da personalidade humana: a resposta a um desafio. Quem recusa um desafio hoje em dia? :-D

7. iAd

A Apple envereda agora pelos anúncios móveis. Depois da Google apostar nisto também, a Apple faz uso da Quattro, empresa que adquiriu há alguns meses, e revoluciona o mundo dos anúncios móveis. Com o crescente tempo que as pessoas passam na utilização das aplicações no seu smartphone, cada vez faz menos sentido incluir os anúncios na pesquisa, como faz a Google. A Apple quer “injectar” publicidade directamente nas aplicações.

A Apple quer também fazer os anúncios mais interactivos, mais vivos, mais úteis, mais emocionantes, mais conscientes das necessidades do utilizador. Por exemplo, ao abrir uma aplicação de notícias desportivas, será mostrado um anúncio com um vídeo das sapatilhas Air Jordan, e de seguida um menu que permite aceder a uma página que apresenta uma aplicações para personalizar uma sapatilha Nike, a um mapa com as lojas mais perto de si, a uma linha do tempo com a história das chuteiras, desde as primeiras versões, e aceder a mais alguns recursos. Inicialmente os anúncios são mostrados numa pequena barra no fundo da aplicação, e se o utilizador clicar neles preencherão todo o ecrã e darão acessos a todos estes recursos. Ninguém melhor do que Steve Jobs para demonstrar:

São como aplicações incluídas dentro de aplicações, de modo a ajudar a costear as aplicações e conseguir equilibrar a App Store em termos de preços. Os anunciantes ganham 60 % dos lucros, e sendo os anúncios alojados pela Apple. Apesar de parecerem Flash, todos os anúncios são feitos em HTML5. Apoio totalmente a Apple nesta decisão de utilizar o HTML5 – take that one, Adobe! – mas afinal de contas, e convém lembrar, são anúncios. Ninguém gosta de anúncios. Interrompem o fluxo de trabalho e tornam as interfaces mais confusas. São anúncios!

Detalhes

  • Fundos do ambiente de trabalho e ecrã de bloqueio personalizáveis e podem agora ser diferentes;

  • Câmara com zoom digital de 5x;
  • Possibilidade de se emparelharem e usarem teclados bluetooth;
  • Pesquisa de SMS;
  • Pesquisar na Web ou na Wikipedia a partir do Spotlight;

  • Verificação ortográfica renovada, continua a censura;

  • Novo visual do “Adicionar Contacto”;

  • Password de desbloqueio pode agora ser alfanumérica, deixando o no mínimo inseguro limite de 4 números para trás;
  • Notificação de envio de SMS falhado. Era necessário e aparece na forma de um “!” junto do ícone das mensagens;
  • Aplicação do Youtube pode agora ser utilizada com orientação vertical;

Datas e Compatibilidade

O iPhone OS 4 será disponibilizado durante o Verão (provavelmente no fim de Junho) para iPhone 3GS 32 e 64 GB, iPhone 3G 16 e 32 GB e iPod Touch 3rd Gen. No entanto, e devido a limitações de hardware, o iPhone 3G não suportará todas as funcionalidades desta actualização, incluindo-se entre elas o multitasking. O multitasking está limitado ao iPhone 3GS e ao iPod Touch de 3ª Geração de 32 e 64 GB.

No entanto, rapidamente se provou que é possível usar o multitasking no iPhone 3G, e com uma simples alteração num ficheiro de configuração (claro que é necessário acesso root ao telefone, ou seja, é necessário jailbreak):

Em relação ao iPad, o OS 4.0 chegará durante o Outono deste mesmo ano de 2010. Até lá, só os membros do iPhone Dev Program podem brincar com as versões beta e ainda um pouco instáveis e sujeitas a bugs do novo OS móvel da Apple. Mas esta disponibilização algum tempo antes do lançamento permite também que, no Verão, muitas empresas tenham já super-potenciados as suas aplicações com as novas API’s disponibilizadas pela Apple.

Polémicas

Surgiram duas grandes polémicas relacionadas com esta nova versão do iPhone OS. A primeira delas surgiu a partir de uma resposta de Steve Jobs acerca da possibilidade de se instalarem aplicações não aprovadas pela Apple neste 4.0. Disparou Steve Jobs:

Existe uma loja pornográfica para Android. Podem fazer downloads de lá, os seus filhos podem fazer downloads de lá. Isso é um lugar para o qual não queremos ir. Nós não vamos ir nessa direcção.

É verdade, a loja existe mesmo e já a noticiamos, aqui.

A outra grande polémica relaciona-se com o “combate”, pela calada, que a Apple tem efectuado contra a Adobe. Na licença do iPhone SDK 4 Beta, a empresa acrescenta que apenas as aplicações criada para o iPhone devem apenas usar os frameworks próprios da Apple – Cocoa Touch e, em qualquer outro caso, a web – e que aplicações compiladas por exemplo, através do Flash to iPhone Compiler serão proibidas. Continua a guerra ao Flash e à Adobe por parte do pessoal de Cupertino…

Segurança

Recorde habitual: Menos de 24 horas depois, o iPhone OS 4.0 já tinha sofrido o jailbreak, pela iPhone Dev Team, que já tinha desbloqueado o iPad. Um vídeo mostra isso mesmo:

Qual a sua opinião sobre o novo OS do iPhone? Com esta actualização de software, o iPhone torna-se agora numa smartphone verdadeiramente apetecível?

Este artigo foi escrito por em 14 Abr, 2010, e está arquivado em Gadgets, Novidades, Software. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
11 comentários em “iPhone OS 4.0: Tudo o que precisa de saber”
  1. Dany, se haviam dúvidas conseguiste dissipa-las TODAS.

    Artigo EXCELENTE e irrepreensível!!!!!!!!!!!

  2. Excelente artigo Dany, está 5*

    Lycanthrope, aqui está :D

    Cumprimentos,

  3. Continua a não ser o telemóvel perfeito.

    Finalmente o multitasking, uma coisa verdadeiramente importante. Não sei como alguém consegue ter um telemóvel que não suporte ter mais que uma aplicação aberta. Chegou mas ainda muito limitado.

    Quanto ás outras funcionalidades integradas, nada demais. Fico feliz por ter um symbian. Funcionalidades básicas e indispensáveis como mostrar quando falha o envio de uma mensagem ou o poder criar pastas para organizar as aplicações do telefone deviam já estar presentes quando o lançamento do primeiro iphone!

    Enfim…Continuam a valorizar o iphone de forma exagerada tendo este ainda muito que evoluir.

    E…Excelente artigo Daniel ;) muito completo!

    • Infelizmente o iPhone 3G e o Ipod Touch da 3a geração de 8gb só tem 128Mb de Ram.. Enquanto que o Iphone 3GS e o Ipod Touch 3a geração de 32 e 64Gb já tem 256Mb… o que certamente proporciona uma maior margem de segurança para correr com elevada estabilidade várias aplicações.

      Sobre multitasking penso eu de que aquele Nokia 6600 anunciado em 2003 já o fazia…e até dava para pastas!!

      Mas sejamos sinceros…mesmo em Symbian com multitasking quantos mais programas abertos nota-se perda de desempenho, coisa que certamente a Apple não quer com os seus adorados produtos.

      Em suma posso dizer que neste momento um Ipod Touch 8Gb 3geração com jailbreak está a tornar-se apetecível. Quem sabe se ainda invisto num.

      PS: Excelente artigo Daniel!

      • João Matias diz:

        Sim! Até o meu velhinho 6630 tinha multitasking. Quanto á perda de desempenho não noto. Apenas quando já não tem mais memória avisa que primeiro tenho de fechar alguma aplicação.

        Mesmo com perda de desempenho acho que preferia ter multitasking, torna-se indispensável para mim.

  4. Lycanthrope diz:

    UUAUU!! Parabéns Daniel Rodrigues pelo excelentíssimo artigo!! Já tinha visto a noticia do Iphone 4.0 em alguns sites mas no teu artigo, tem coisas que ainda não tinha visto referido em outros lados… o que mostra a qualidade do teu post. Uma vez mais, parabéns.

    Como bem referiste, como não vi o Kerodicas a falar do Iphone 4.0 na altura que toda a gente o referenciava, eu pensava que o kerodicas ia deixar passar em branco… Se eu soubesse que ia sair um post deste teria esperado com muito gosto. @YuRISsS, yep! Cá estou eu a dar os parabéns a quem tem direito ;)

    Pelos vistos o multitasking não é tão multitasking como queria parecer, mas mesmo assim é capaz de beneficiar bastante o Ipad… na minha opinião irá beneficiar o Ipad mais que o Iphone, visto que o Iphone terá um uso mais pontual e menos intensivo que o Ipad. Assim a Apple elimina muitas das criticas iniciais ao Ipad.

    Já há noticia que a adobe vai processar o Apple pelo novo Iphone4.0 não incluir flash… acho que devia era estar caladinha lol.

    Parabéns pelo Post e espero ver mais destes aqui no Kerodicas (não só teus, que não podes fazer tudo lol) apesar das limitações de tempo… :)

    Cumps

  5. Curioso que ele tenha realcado 7 funcionalidades… Suspeita coincidencia xD

  6. O meu antigo 3650 já dava para isso e o copiar colar, etc ..

    É triste é gabarem-se de fazer o que os outros fazem há ANOS . LOL

  7. concordo plenamente com a ADOPE, não incluir flash é um retrocesso total! Viva à concorrência, se a APLE começa a dar uma de monopolista, todos nós perderemos com isso.

  8. Nilo Fernandes diz:

    No meu iphone versão 4.0 nao tem o icone de foto para mensagens, o que faço?

  9. eu trabalho com iphones e tenho muitos problemas com o recete dele quando eu receto ele manual eu travo o aparelho

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: