« Google dedica doodle ao Vitinho, que faz hoje 25 anos VLC Media Player, reprodutor de multimédia super completo »
02/02/2011
Escrito por em Cinema | 3.701 Leituras

O KeroDicas.com volta a apresentar o regresso de uma das mais carismáticas rubricas que por aqui tem passado: Cinematograficamente Falando…é uma rubrica elaborada por Hugo Gomes @ cinematograficamentefalando.blogs.sapo.pt, cujo objecto é a apresentação, em forma de resenha, das próximas estreias cinematográficas da semana corrente e respectivas críticas a outros títulos, que vos podem, ou não, ajudar a tomar a decisão de ver o filme em questão.

Esta semana em destaque Cisne Negro e Green Hornet, entre outros títulos, com estreia marcada para quinta-feira…

ESTREIA DA SEMANA


Cisne Negro

Real.: Darren Aronofsky / Int.: Natalie Portman, Mila Kunis, Vincent Cassel

Nina (Natalie Portman) é uma bailarina dedicada e exigente que tenta de tudo para entrar na peça “O Lago dos Cisnes”. Ao conseguir o feito, terá que lidar com o rigor do seu coreógrafo, Thomas Leroy (Vincent Cassel), que a acusa de não preencher os requisitos da peça. Nina é obrigada a desempenhar dois papéis diferentes com característicos movimentos de dança, o angelical e frágil Cisne Branco, que a protagonista encaixa perfeitamente, e a sedutora e obscura Cisne Negro, que irá despertar na bailarina um dos lados mais negros e desconhecidos.
Darren Aronofsky
é uma das faces da nova vaga de autores do cinema norte-americano do novo século, todos os seus filmes conseguem causar grande impacto no público e crítica, mas também na criação de atmosferas pesadas, pessimistas e psicologicamente envolventes, sendo Black Swan um dos maiores exemplos da sua arte. Iniciou em 1991 com projectos escolares nunca distribuídos, sendo a sua primeira produção meramente profissional, Pi (1998), um cerebral filme de culto sobre um génio da Matemática que tenta decifrar os segredos por detrás do número incógnito. Depois seguiu-se o muito elogiado Requiem for a Dream (2000), uma descida ao submundo da droga que garantiu a nomeação de Ellen Burstyn ao Óscar (naquele que é considerado um dos melhores desempenhos de sempre do mundo da 7ª Arte), passados seis anos surge The Fountain com Hugh Jackman e Rachel Weisz, ao contrario dos seus antecessores a recepção mais divida.
Com The Wrestler (2008), a ressurreição do actor Mickey Rourke num filme pseudo-biográfico, Darren Aronofsky volta a estar nas bocas do Mundo num trabalho inigualável de direcção de actores, sendo este Black Swan a confirmação do seu espírito em extrair aos seus actores os melhores e mais distintos perfomances de suas carreiras. Portman venceu o Golden Globe de Melhor Actriz Principal e encontra-se actualmente nomeada para o Óscar, com claras chances de vencer a estatueta.
A actriz celebrada em Closer (primeira nomeação ao Óscar) e revelada em Leon de Luc Besson, encontra-se imaculada numa interpretação negra, frágil, bipolar, onde a sua personagem Nina não intencionalmente consegue recriar. Thriller alucinante, com raízes de grandes obras do género como The Shining de Stanley Kubrick e Misery de Rob Reiner. Black Swan conta ainda com grandes desempenhos de Vincent Cassel (La Haine, Ocean’s Twelve), a também nomeada ao Óscar de Melhor Actriz Secundária Mila Kunis (The Book of Eli) e Barbara Hershey (Hannah and her Sisters) numa impressionante mãe psicótica e obsessiva.

TOP 5 – Natalie Portman

5 – The Other Boleyn Girl (Justin Chadwick, 2008)

4 – Brothers (Jim Sheridan, 2009)

3 – Garden State (Zach Braff, 2004)

2 – Closer (Mike Nichols, 2004)

1 – V for Vendetta (James McTeigue, 2005)


OUTRAS ESTREIAS


Green Hornet

Real.: Michel Gondry / Int.: Seth Rogen, Cameron Diaz, Christopher Waltz

Poderia ser muito mais uma das «enésimas» adaptações de BD que irão estrear neste promissor ano, mas o facto do nome Michel Gondry estar anexado à cadeira de realizador, desperta neste produto mainstream algo interessante, sendo a entrada de um autor saído das escolas dos “videoclipps”, principalmente conhecido pelos vídeos de Bjork e Bloc Party, e tão habitual em produções independentes e cheias de vida artística no mundo do cinema industrial.
Nós conhecemo-lo vulgarmente como o homem por detrás do singular Eternal Sunshine of a Spotless Mind, onde submeteu o actor Jim Carrey apagar as memórias de uma relação passada, e em Be Kind Rewind onde os actores Mos Def e Jack Black têm a missão de refazer as fitas do videoclube onde trabalham após estas serem magnetizadas.
The Green Hornet,
como BD, foi já convertido em longa-metragem em 1940, num homónimo filme de Ford Beebe e Ray Taylor, mas o verdadeiro sucesso do legado deu-se em 1966 com a série de televisão que celebrizou o mestre de artes marciais, Bruce Lee, nos EUA. Desde então The Green Hornet sempre ficou relacionado com o lendário actor, sendo que o seu personagem, Kato, merece nesta nova revisão um lugar cativo e memorial em relação ao marcante desempenho de Lee.
O escolhido para homenagear foi Jay Chou, que integrou o elenco da luxuosa produção chinesa de Zhang Yimou, The Curse of the Golden Flower, Kato é o sidekick do homónimo herói mascarado, Green Hornet, alter-ego de Britt Reid, interpretado pelo actor Seth Rogen (Knocked-Up), um jovem e promissor magnata que após o misterioso assassinato do seu pai, decide investigar e combater o crime sob disfarce. Este filme que combina comédia e acção tem ainda como protagonistas; Cameron Diaz (The Mask) que compõe o habitual par romântico e o talentoso Christopher Waltz (Inglourious Basterds) que integra no filme como vilão.

Casino Jack

Real.: George Hickenlooper / Int.: Kevin Spacey, Barry Pepper, Jon Lovitz

Kevin Spacey foi um dos actores de topo dos anos 90. Querem provas? Podemos iniciar com a primeira grande obra de Bryan Singer, The Usual Suspects em 1995 (onde venceu o Óscar de Melhor Actor Secundário), foi o psicopata serial-killer em Se7en de David Fincher, foi memorável em L.A. Confidential de Curtis Hanson e venceu o seu segundo Óscar, desta vez sob o título de actor principal em American Beauty de Sam Mendes.
Após uma fase menos produtiva durante a década de 2000, Spacey tenta recuperar a sua velha forma como Jack Abramoff, no filme Casino Jack de George Hickenlooper (The Man from Elysian Fields). Casino Jack conta a história de um homem, o dito Abramoff, protagonista de vários escândalos políticos e trafulhices que o motivaram a criar o seu próprio império de riqueza e influências.
Spacey
foi nomeado ao Globo de Ouro com este desempenho, mas a fita conta ainda com Barry Pepper (25th Hour, Green Mile), Jon Lovitz (Big, The Producers) e Kelly Preston (Death Sentence). Baseado em factos verídicos.

CRÍTICAS


Hereafter – O Outro Lado

Real.: Clint Eastwood / Int.: Matt Damon, Cécile de France

Pontuação – ***

Clint Eastwood em território desconhecido, o do sobrenatural, onde invoca uma reflexão à definição de morte através de uma narrativa que cruza três historias distintas mas intrinsecamente relacionadas. O autor é um artesão admirável no que requer a invocar drama dos seus personagens, mas é desconfiado em aventurar-se num cinema que não é o dele. É Clint Eastwood, sim, mas não o que estamos habituados.

Skyline – O Alvo Somos Nós

Real.: Colin Strause, Greg Strause / Int.: Eric Balfour, Scottie Thompson

Pontuação – *

Descaradamente publicitado como um filme da mesma equipa de efeitos visuais de Avatar de James Cameron, como se o cinema fosse limitado aos artifícios tecnológico, o Skyline é um desengonçado projecto de ficção cientifica com mais olhos que barriga, onde tudo se resume a uma colagem de outras fitas que o grande publico tão bem conhece.
Interpretações desastrosas, um argumento sem ponta que se pegue e uma produção que lança um odor de amadorismo no ar, Skyline são mesmo dos piores projectos cinematográficos que Hollywood lançou no ano passado.

Burlesque

Real.: Steve Antin / Int.: Cher, Christina Aguilera

Pontuação – **

Cher com doses exageradas de lifting e botox lidera uma Christina Aguilera com voz mas sem talento artístico. Burlesque é um musical da mesma linha de Chicago de Ron Marshall, bonito de se ver mas não palpável, o argumento é a sua maior fraqueza e as personagens a sua cobardia. Tirando as músicas e as cores, não sobra muita coisa.

DVD

Jantar de Idiotas

Real.: Jay Roach/ Int.: Paul Rudd, Steve Carrell

Para conseguir subir na sua empresa, Tim (Paul Rudd) aceita o desafio do seu patrão (Bruce Greenwood), que consiste em encontrar um indivíduo totalmente idiota e convida-lo para um jantar com intuito de troçar das suas anomalias. Contudo a tarefa não é fácil para Tim, sendo que o idiota escolhido, Barry (Steve Carrell), não intencionalmente está literalmente a estragar a vida de Tim. Dinner for Schmucks foi uma das mais divertidas apostas da comédia norte-americana de 2010, trata-se de um remake de um êxito francês, que porém não fica lhe fica atrás, sendo os excêntricos personagens o mais divertido desta parodia satírica. Destaque para os desempenhos de Steve Carrell e Zack Galifianakis.

Extras – Deslizes, Cenas Cortadas, Os Maiores Idiotas do Mundo

Aguas Agitadas

Real.: Erik Poppe / Int.: Pál Sverre Valheim Hagen, Trine Dyrhome

Jan Thomas (Pál Sverre Valheim Hagen) esconde um trágico segredo, cometeu um crime que levou à morte de uma criança. Após cumprir a pena, Thomas decide recomeçar a sua vida como tocador de órgão, mas o passado parece ter deixado marcas e não abandona o protagonista de maneira nenhuma. Um drama norueguês de grande qualidade quer na realização ou na história, os actores tem garra para os papéis conseguindo assim uma imensa carga dramática.

Extras – Trailer

O NOVO SUPER-HOMEM …


Já foi escolhido o novo Super-Homem do reboot dirigido por Zack Snyder (300, Watchmen) e produzido por Christopher Nolan (The Dark Knight, Inception), Superman – Man of Steel. O eleito foi o actor Henry Cavill, que irá interpretar Theseus no próximo filme de Tarsem Singh, Immortals. Superman – Man of Steel tem data de estreia para Dezembro de 2012.

Este artigo foi escrito por em 02 Fev, 2011, e está arquivado em Cinema, Destaques. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: