« Últimos “upgrades” no Facebook estão a deixar utilizadores irritados VirtualBox 3.0.10 »
29/10/2009
Escrito por em Mundo | 3.683 Leituras

O Reino Unido tem vindo a discutir novas formas de combate à pirataria, um pouco à semelhança do que acontece por toda a Europa. França foi pioneira na introdução de um leque de penalizações duras contra a ofensa a direitos de propriedade intelectual na Internet. A mais simbólica é o corte do acesso para quem reincida no crime, que ao terceiro aviso e após decisão judicial, pode ficar até um ano sem serviço e pagar uma avultada multa.

Na discussão que têm mantido, os britânicos aceitam vários cenários, desde o corte do acesso, à redução da velocidade, à simples penalização através de multas. Ainda não há uma decisão definitiva.

Contudo, um secretário de Estado deu algumas dicas sobre o futuro quando intervinha num fórum patrocinado pelo Governo. Peter Mandelson assegurou que no Reino Unido quem persistir em acções ilegais na Internet também ficará privado do serviço.

bandeira_pirata

O responsável diz que a medida será de “último recurso” e que não é expectável que venham a ocorrer suspensões em massa. Tal como em França, os infractores receberão duas cartas a dar conta dos riscos que correm por estar a cometer uma ilegalidade e apenas se persistirem se concretizará a privação de acesso ao serviço, confirmada por uma terceira carta. Nestes casos terão sempre a opção de apelar da decisão.

O secretário de Estado também defende que a lei não deve contemplar a cópia privada como crime, mas ter abertura para considerar como legal a gravação de um CD em várias plataformas ou o empréstimo entre familiares, por exemplo.

As indústrias criativas empregam no Reino Unido 2 milhões de pessoas e geram uma facturação de 17,6 mil milhões de euros, um valor que segundo o representante governamental se tem deteriorado nos últimos anos muito devido às novas formas de aceder aos conteúdos que deixaram de alimentar os canais tradicionais.

Estudos citados pelo mesmo responsável indicam que só 20 por cento da música consumida no Reino Unido é comprada de forma legal.

Fonte: TeK

Este artigo foi escrito por em 29 Out, 2009, e está arquivado em Mundo, Notícias. Siga quaisquer respostas a este artigo através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta ou fazer um trackback do seu próprio site.

Todo e qualquer texto publicado (posts e/ou comentários) na Internet através deste sistema não reflecte, necessariamente, a opinião deste blog ou do(s) seu(s) autor(es). Os utilizadores que optarem por escrever um comentário no campo apropriado para tal comprometem-se, por sua vez, a não transmitir ou divulgar ameaças, pornografia infantil, material racista, textos que sejam ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou viole a legislação em vigor no país. +Informações na página de Termos & Condições de Utilização.

Artigos Relacionados
13 comentários em “Reino Unido também quer “calar” Internet aos piratas”
  1. Pronto "Um burro faz os outros vao atraz"… nao vai demorar muito ate serem todos os paises…

  2. AntiPiracy diz:

    Acho muito bem que cortem, pena é que não aconteça também cá em Portugal.

    • Lycanthrope diz:

      não deve demorar muito… visto que a CE já aboliu a norma que impedia esses cortes do governo aos cidadãos…
      Espero que haja sempre softwares opensource alternativos :)

      • AntiPiracy diz:

        Concordo plenamente, existe tantos softwares gratuitos e opensource expetaculares porque de não serem utilizados?
        Para dizer que tenho um maquinão de computador e depois todos os softwares instalados são ilegais, isso não é correcto, assim é melhor ter tudo correcto com respectivas alternativas.
        E que melhore muitos softwares que não têm alternativas mas que assim rapidamente se tornam rivais dos poderosos como o GIMP, PAINT, OPENOFFICE, REACTOS, WINE, entre outros, para quê software pirateado?

  3. Isto faz lembrar um velho tema,se ha tantos acidentes por exceço de velocidade entao porque nao se criam automoveis somente para andar o limite de cada pais??em relaçao a informatica entao que nao se hajam empresas que tem downloads ilimitados mas isso ja nao interessa nao é?Jogo os jogos e sao pirateados pois porque haveria de pagar cerca de 50 euros por jogos que por vezes tem bugs?pagar por um serviço mau??que reduzem o preço dos jogos que deixa de haver pirataria e vende-se mais.Pirataria sempre.

    • AntiPiracy diz:

      Entendo mas vê-se mesmo que não consegue encontrar jogos legais a baixo preço, se for à Steam já por várias vezes encontra bons jogos por baixo preço, como por exemplo tem o Stalker neste momento à venda por 5 Euros, de facto compreendo que 5 Euros é caro para muitos.
      Então não entendo para que é que têm Internet e pagam mais por Internet…
      Pirataria é somente para os que não querem mesmo comprar os softwares e não respeitam muitas vezes o proprio mercado em que trabalham, nem muitas vezes o colega do lado que com muito esforço fez uma aplicação e simplemente outros publicam na Internet a custo zero e sem créditos para o verdadeiro programador. Isso é errado!
      Pagar o preço justo (que não é os preços actuais) pelos softwares, isso sim!

  4. José Gomes diz:

    Este AntiPiracy é um wannabe do catano

  5. AntiPiracy diz:

    Acontece.

    • Deves ter a conta bancária bem recheada pra poderes comprar o k keres (musica, filmes, programas, jogos).
      K surjam + partidos piratas!!!!

      • AntiPiracy diz:

        Não nem por isso, quem não tem dinheiro não tem vicios, regra da vida. Por isso só compro o que necessito e o que posso, não compro tudo para dizer que tenho ou faço o download ilegal para dizer que tenho, isso não é legal nem correcto. Lá por não poder comprar muito software e hardware isso não me impede de ter uma opinião sobre este assunto diferente da maioria do pessoal.

        • No caso do jogos as vezes compro a bgamer. No caso dos filmes, alugo. Agora não concordo é cm este tipo de leis totalitárias.

          • Também acho que é um exagero. Pelo menos cá em Portugal temos as PUAs, e creio que vão sendo o suficiente para controlar os utilizadores.

  6. Como e que alguem cria um virus , malware , spyware e ninguem faz nada para os apanhar ,mas como andam a prejudicar a industria musical isso ja e um problema e os governos decidem agir , mesmo que seja demasiado lucrativa esse lucro ninguem controla.

Deixe o seu comentário

(obrigatório)

(obrigatório e não será publicado)



:wink: :-| :-x :twisted: :) 8-O :( :roll: :-P :oops: :-o :mrgreen: :lol: :idea: :-D :evil: :cry: 8) :arrow: :-? :?: :!: